Meio&Mensagem
Publicidade

Google, Amazon, Samsung: quem fala mais alto?

Para as marcas cujo foco são os assistentes de voz – e que atualmente querem chamar a atenção - o grande desafio é tornar a tecnologia tão eficiente a ponto de ela não ser notada

Luiz Gustavo Pacete
9 de janeiro de 2019 - 6h00

Afinal, para quem serão as casas conectadas? Para early adopters e aficionados por tecnologia ou para pessoas que não necessariamente estão dispostas a entender de programação? A batalha das marcas de assistentes de voz em chamar a atenção na CES está apenas começando. Google, Samsung, Amazon, Huawei, além da Apple, que não participa da feira, têm um grande desafio pela frente: tornar a tecnologia de assistência de voz tão boa que seja quase imperceptível na vida das pessoas e, mais importante, seja acessível para todas as idades e condições.

Michele Turner, diretora sênior do Smart Home do Google, falou sobre a importância de simplificar uma interação do usuário com uma tecnologia em um dos painéis da CES sobre assistentes de voz. “O Google investirá cada vez mais em voz – acabamos de anunciar que estamos em quase um bilhão de dispositivos com o assistente – e isso está além do mercado de early adopters. Precisaremos tornar as interfaces mais simples, fácil e natural para as pessoas. É assim que simplificamos a configuração e o uso desses dispositivos. E quando algo dá errado, como é mais fácil para você entender o que realmente aconteceu? ”, explicou.

Um outro ponto importante para as empresas que desenvolvem essa tecnologia é desmistificá-la de maneira definitiva. A experiência do usuário pode até ser algo atraente, mas as principais marcas de assistentes que estão na feira possuem o desafio de mostrar que suas tecnologias são capazes de unificar ecossistemas complexos. Conversar com outras bases de dados e realizar a integração entre entretenimento, serviço e integração de forma eficiente. Do volume desse mercado, até setembro, segundo a Canalys, o Amazon Echo tinha 31,9% de participação ante 29,8% do Google Assistant.

Ponto-chave para essas empresas evoluírem nos assistentes de voz são as parcerias. Na CES, por exemplo, o Hey Google aparece na comunicação de várias outras empresas que vão de TVs inteligentes da LG até carros conectados da Ford. Já a Amazon está apostando na feira para mostrar seu conceito de “Alexa Everywhere” que está representada por meio de vários produtos de seus parceiros. Outro ponto importante dessas empresas também é mostrar que os assistentes estão em tudo, de lâmpadas a cafeteiras passando por fechaduras e televisões.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Alexa

  • Amazon

  • Apple

  • Cortana

  • Google

  • Samsung

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio